Galo com grão

Galo com grão

Nada melhor do que um galo caseiro cozinhado no campo para integrar esta secção do mês de Julho em que os arredores da cidade de Lagos foram merecedores de destaque. Assim, deixamos esta sugestão recheada de sabores característicos de um espaço onde é impossível que alguém não se sinta confortável e não tenha apetite.

Uma receita facílima que de imediato nos cativou, para além de deliciosa não exige muita preparação ou cuidado enquanto cozinha. Permitiu-nos até não estar presentes enquanto se fazia, o que possibilita que se continuem as tarefas no campo, como trabalhar na horta ou tratar do galinheiro.

Este prato foi feito com um galo, o único no meio de oito galinhas. Inicialmente, cortou-se a cebola de forma a obter meias luas e colocou-se num tacho, em conjunto com os temperos: uma pitada de sal, uma folha de louro e um pouco de salsa, para um refogado saboroso. Juntou-se o galo, cortado aos pedaços, para apurar o sabor e, de seguida, cerca de 1 litro de água juntamente com o grão. Como esta naturalmente vai secando, requer que se vá colocando mais de vez enquanto.

Como era um galo criado no campo não foi necessário utilizar azeite, mas caso o interesse na receita seja tanto que se queira replicar com um ingrediente que substitua o galo, como frango por exemplo, e não se tenha acesso a algo caseiro, aconselhamos a utilizar um bocadinho de azeite.

Depois de cozinhado chegou então a hora de colocar tudo numa terrina com umas folhas de hortelã fresca por cima. Para acompanhar não podia faltar o pão na mesa, ou neste caso, no prato, como típicos portugueses que não deixam que este alimento falte à refeição. Embora pareça um acompanhamento simples são três as opções para se servir: pode ser simples, torrado ou frito. Deixo a vossa criatividade e gulosice decidir qual a opção que mais vos alicia.

Não podíamos terminar esta nossa proposta sem o meu digestivo preferido, uma melosa caseira – a combinação ideal entre aguardente de medronho, água, mel, canela e uma casca de limão. Escusado será mencionar que é uma receita de família e imprescindível no final desta refeição. Para quem almoça galo com grão, nada cai melhor do que um pirolito desta bebida doce e saborosa para renovar energia para se continuar os encargos da tarde. Caso se jante este prato é também a sugestão ideal para se terminar a noite com um aconchego quentinho.

Beatriz Maio